Dr. Walter Moisés Tobias BragaCRM 114081

Hematologia e Hemoterapia

Temas em Hematologia

Anemia

Palavra de origem grega significa “sem sangue”, é uma manifestação clínica na qual a capacidade do sangue em transportar oxigênio para os tecidos está reduzida, seja pela redução no número de eritrócitos (hemácias) ou pela redução de hemoglobina. Isto pode ocorrer por perda de sangue (sangramentos/hemorragias), deficiência na produção de glóbulos vermelhos (deficiência de vitaminas, alterações na medula óssea) ou destruição das hemácias (anemias hemolíticas). A principal causa de anemia é a deficiência de ferro, que se desenvolve quando a ingestão de ferro pela dieta não consegue compensar uma perda crônica a partir de algum sangramento, por exemplo, menstruação em excesso ou pelo trato gastrointestinal. Existem muitas outras causas de anemia, por isso, diante desse quadro clínico, descobrir sua causa sempre se faz necessário, para que se possa realizar o tratamento adequado.

Linfoma

É um termo genérico para designar um grupo de neoplasias malignas (câncer) do tecido linfático. A doença é caracterizada por aumento do volume dos linfonodos (gânglios) em região do pescoço, axila e/ou inguinal. Além dessas localizações, pode haver aumento de gânglios em regiões não palpáveis como tórax e abdome. O diagnóstico é feito pela biópsia do gânglio aumentado. Precisam ser investigados os gânglios de crescimento rápido e/ou que não desaparecem por mais que 3 meses. Existem pelo menos 40 tipos diferentes de linfomas, o tratamento na maioria das vezes é feito com quimioterapia. Por isso, recomenda-se que o linfoma deva ser acompanhado e tratado de maneira adequada por um médico hematologista.

Leucemia

O termo leucemia corresponde a um conjunto de neoplasias malignas (câncer) que acometem o sangue e, em geral, possuem origem na medula óssea (local onde o sangue é produzido). Existem dois grupos de leucemias, as agudas e as crônicas. As leucemias agudas são caracterizadas pela presença de blastos (células neoplásicas imaturas) no exame de sangue ou medula óssea, havendo necessidade de internação hospitalar para início precoce de tratamento quimioterápico. Os principais achados clínicos do paciente com leucemia aguda são anemia, infecções e/ou sangramentos. Já as leucemias crônicas são caracterizadas por alterações muito sutis no hemograma, com o aumento no número dos neutrófilos ou linfócitos. O reconhecimento precoce de uma leucemia crônica é importante para que o paciente seja acompanhado e tratado de maneira adequada. Diferente das leucemias agudas, geralmente um paciente com leucemia crônica não tem necessidade de internação hospitalar e o tratamento se dá com o uso de quimioterapia oral. É recomendado que esses dois tipos de leucemias sejam tratadas por um médico hematologista.

Púrpura

É o aparecimento de manchas vermelhas ou roxas na pele, causadas por sangramentos subcutâneos. Pequenos pontos são chamados petéquias, enquanto os maiores são chamados de equimoses. A avaliação correta da origem da púrpura é muito importante, pois muitas vezes o hemograma é marcado por uma queda na contagem de plaquetas, acarretando risco de sangramentos. As púrpuras com baixo número de plaquetas são conhecidas como Púrpuras Trombocitopênicas e na, maioria das vezes, apresentam origem imunológica e o tratamento se dá com o uso de corticosteroides e/ou imunoglobulina humana endovenosa.

Mieloma

Mieloma Múltiplo é uma neoplasia maligna (câncer) de uma célula do sangue conhecida como plasmócito. Esta doença é marcada por apresentação clínica variada. Os principais sintomas são anemia, dores ósseas (lesões ósseas), aumento dos níveis de cálcio no sangue e perda da função dos rins. Nem sempre haverá a presença de todos os sintomas juntos. O diagnóstico se dá a partir da evidência da produção de uma proteína anômala (proteína M) observada em exames como eletroforese de proteínas ou imunofixação (sangue e/ou urina) acompanhado de biópsia de medula óssea (local onde o sangue é produzido). O diagnóstico precoce e os avanços no tratamento desta doença nos últimos anos trouxeram grandes benefícios na abordagem do paciente com mieloma múltiplo. O tratamento se faz, na maioria das vezes, com quimioterapia associado ao transplante autólogo de medula óssea. O objetivo principal do tratamento é o controle dos sintomas e da síntese da proteína M. Um dos principais problemas relacionados a essa doença é o diagnóstico tardio e com complicações. Por isso a importância do diagnóstico precoce e correto para que se possa iniciar o tratamento e controle da doença o mais breve possível.

Trombose

É a formação de um trombo (coágulo) dentro de um vaso sanguíneo (venoso ou arterial). Quando há formação de um trombo arterial pode haver falta de oxigenação de tecidos importantes como coração (infarto agudo do miocárdio) e cérebro (acidente vascular cerebral – AVC) que contam com tratamento específico para cada situação. Os principais fatores de risco para tromboses arteriais são a pressão alta, tabagismo, obesidade, diabetes e colesterol alto. O surgimento de trombose venosa está relacionado, na maioria das vezes, por uso de anticoncepcionais orais, situações de imobilizações (doenças ortopédicas), viagens prolongadas (síndrome da classe econômica) e presença de trombofilias (alterações genéticas que predispõem ao surgimento de trombose). O grande perigo da formação de um trombo venoso é o seu deslocamento até a circulação pulmonar levando à situação conhecida popularmente como embolia pulmonar que pode levar o indivíduo a morte. O tratamento da trombose venosa é feito com o uso de medicações de uso subcutâneo ou oral. É recomendado que o uso destas medicações seja acompanhado pelo hematologista, assim como a investigação de trombofilias.

Hematologia

É a especialidade médica que estuda o tecido hematopoético (sangue). Os elementos que compõem o tecido sanguíneo são as hemácias (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas. Além dos elementos do sangue, é objeto de estudo do hematologista os órgãos, responsáveis pela produção do sangue, como medula óssea, baço e linfonodos.

leia mais

Hospitais de Atuação

Hospital Sírio Libanes
Hospital Nove de Julho
Hospital Santa Catarina
Hospital Oswaldo Cruz